Casal acolheu refugiada ucraniana e marido apaixonou-se: “Fugi com ela após 10 dias”

24 mai, 12:02
Casal / Amor Foto: Pixabay
Casal / Amor Foto: Pixabay

Tony Garnett é casado e pai de duas filhas. Com a sua mulher, de quem entretanto se separou, decidiu acolher uma refugiada ucraniana depois do início da guerra. E o inesperado aconteceu. O homem de 29 anos apaixonou-se e deixou a família para viver um amor com Sofiia Karkadym, de 22 anos.

Em entrevista ao jornal britânico The Sun, Tony conta agora que ambos planeiam uma vida juntos. Por sua vez, Sofiia, que fugiu da cidade de Lviv no início do conflito, admite que ficou interessada em Tony desde o momento em que o viu pela primeira vez.

“Foi muito rápido, mas esta é a nossa história de amor. Sei que as pessoas vão pensar mal de mim, mas acontece... Eu conseguia ver o quão infeliz era o Tony”, afirma a jovem ucraniana.

“Lamentamos a dor que causámos, mas descobri uma ligação com a Sofiia como nunca tinha sentido antes”, explicou Tony ao mesmo jornal.

Esta história começa com Tony a inscrever-se no plano de acolhimento de refugiados lançado pelo governo britânico após o início da guerra na Ucrânia. O homem considerou o processo burocrático bastante lento e acabou nas redes sociais a oferecer ajuda. E foi assim que chegou ao contacto com Sofiia, que viajou para Berlim antes de chegar a Manchester para morar com Tony e Lorna.

A tensão entre o casal instalou-se desde o primeiro dia de acolhimento. Como relata o The Sun, Tony quis tirar a filha de seis anos do seu quarto e colocá-la num beliche com a irmã, de três anos, para ganhar espaço em casa para deixar Sofiia mais confortável. Mas Lorna opôs-se desde logo a esta ideia.

O dias foram passando e a aproximação do britânico e da ucraniana era evidente. “A Sofiia e eu sentávamo-nos e conversávamos, bebíamos e víamos televisão com legendas em ucraniano depois de a Lorna ir para a cama”, conta Tony. “Estávamos a dar-nos muito bem, mas naquela altura não era mais do que isso – embora eu consiga perceber por que a Lorna começou a sentir ciúmes.”

Esta relação de ‘flirt’ constante foi-se acentuando até Lorna não admitir mais a situação dentro de casa. Ao ver a aproximação entre a jovem e o marido, Lorna terá, segundo Tony descreve, gritado com Sofiia, deixando-a transtornada e em lágrimas. A jovem ucraniana disse que não tinha mais condições para ficar dentro da casa da família e foi aí que Tony tomou uma decisão na hora: “Eu disse à Lorna: 'Se ela vai, eu também vou'. Eu sabia que não podia desistir dela”, recorda. “Ambos fizemos as malas e mudámo-nos para casa dos meus pais”, conta.

 

 

 

 

Mais Lidas