Facebook Instagram

Os votos de Liliana e Bruno de Carvalho: «Fomos destinados, mas parte de Portugal não percebeu»

Votos de Liliana Almeida e Bruno de Carvalho durante o casamento recordam o início da relação: «Fomos destinados a nos encontrar e amar. Mas parte de Portugal não percebeu»

3 set, 11:00

Liliana Almeida e Bruno de Carvalho já são marido e mulher. O casamento, transmitido em direto pela TVI, foi carregado de emoção e um dos momentos altos aconteceu durante a troca de votos. No altar, Liliana Almeida e Bruno de Carvalho trocaram juras de amor eterno, ao mesmo tempo que falavam no caminho que tiveram de atravessar até ao dia do casamento.

Liliana foi a primeira a ler os votos, perante um noivo em lágrimas. «Vou falar da celebração de um amor louco e bonito (…) Tu és uma pessoa rara. Quando me perguntam ‘o que vejo no Bruno, e quem é o Bruno?’, eu pouco ou nada explico porque pessoas raras são difíceis de explicar. Eu não estou a endeusar-te (…) Alguém que tem capacidade de ser o que é, de ser verdade, de ser generosidade e amor, é alguém que eu quis», declarou Liliana.

«Vou celebrar ter conhecido o homem da minha vida e ter entregue o mais precioso da minha vida: o meu coração. E sei que vais esforçar-te por cuidar dele (…) Tu estás aí, não me largas a mão, e para mim quem se doa, quem honra, cuida e ama sem medo, tem de ser protegido. Eu vou proteger-te», acrescentou.

«Estar contigo é viver rodeada de perguntas, mas acho que aqui, neste momento, acredito que já respondi a todas (…) Peço sabedoria para que possamos ultrapassar todos os obstáculos no caminho com toda a força que nos caracteriza. Antes de entrar para a casa do Big Brother estava com tanto medo, mas sempre ouvi dizer que o medo está perto das maiores loucuras e mudanças das nossas vidas (…) Obrigada por tudo, Bruno. Continua a fazer-me rir, mesmo quando discordamos (…) Amo-te bué, juntos até ao infinito», terminou, deixando Bruno de carvalho em lagrimas.

Ainda emocionado, Bruno de Carvalho tomou a palavra, fazendo questão de relembrar os momentos conturbados que viveram nos últimos meses.

«No dia 2 de janeiro conheci-te. Senti pela primeira vez o que é o amor. Não era apenas paixão, não era apenas conforto, não era apenas segurança, era amor. Um sentimento de que fazias parte de mim, uma parte que estava adormecida até te reencontrar. Digo reencontrar porque acredito que vida após vida fomos destinados a nos encontrar e amar. Mas parte de Portugal não percebeu, sobretudo aqueles que pensam que te conhecem mais do que tu própria, porque são teus amigos e amigas há muitos anos, ou aqueles que se arrogam serem defensores dos direitos humanos, esquecendo-se que eu e tu também temos direitos e as nossas famílias também».

«O mundo pode assistir ao amor mais genuíno e louco que foi visto em Portugal (…) E os amigos e grupos foram de estágio em estágio, começou na galhofa do ‘é tao giro’ , ‘que orgulho tenho na Liliana’ , ‘o Bruno é um fofo’ para a hipócrita crítica ‘O Bruno disse à Liliana que era dele’, (…) ‘que autoritário, que agressivo’ (…) A ignorância foi dando lugar à estupidez humana (…) e nós íamos vivendo a mais louca e bela história de amor alguma vez vista na historia da TV».

«Alheios à maldade e hipocrisia que se ia gerando fomos nos conhecendo, limando, falando, fazendo as pazes, discutindo, amando, beijando, brincando, dançando e cantando.»

«E aqui chegámos (…) minha amiga, minha companheira, minha mulher, minha Liliana. E agora digo com orgulho: és minha e eu sou teu. Mas para aqui chegarmos tiveste de atravessar o Cabo das Tormentas, onde o Adamastor das críticas, mentiras, inveja e maldade queria evitar que chegasses ao Cabo da Boa Esperança (…)»

«Tenho orgulho em ti, tenho orgulho no que és, no teu percurso de vida, nos teus princípios (…) Cada dia ao teu lado é um desafio. Desculpa cada defeito, desculpa cada erro (...) Quero ser tudo ao teu lado, quero que te sintas a mulher mais especial e amada do mundo, mas por vezes tenho falhado esse objetivo. Hoje quero pedir-te perdão por cada lágrima que choraste, por cada desilusão que tiveste. Quero que este novo capítulo da nossa vida comece com o teu perdão porque será a ajudarmo-nos um ao outro a superar os nossos defeitos que podemos ambicionar manter o nosso amor eterno (…)»

«Dizer amo-te é fácil e eu nunca gostei de ir pelo caminho fácil. Por isso te digo: desculpa meu amor. Estive, estou e estarei ao teu lado. Que Deus me ajude a ter a sabedoria para te proteger. Obrigada por cada dia que estás ao meu lado», terminou Bruno de Carvalho.

RELACIONADOS
Mais Lidas