Facebook Instagram

Formas inteligentes de utilizar o reembolso do IRS

Receber o reembolso do IRS é sempre uma boa notícia. Saiba o que fazer com esse dinheiro extra para reforçar as suas finanças pessoais.

Doutor Finanças
21 mai, 12:35
Poupar dinheiro Foto: Towfiqu Barbhuiya/Unsplash
Poupar dinheiro Foto: Towfiqu Barbhuiya/Unsplash

poupar dinheiro ordenado

A entrega do IRS está a decorrer até ao final do mês de junho. Se tem reembolso a receber, é sabido que, quanto mais cedo entregar, mais cedo vai receber o montante a que tem direito. Este “acerto de contas” acontece quando o valor que reteve na fonte ao longo do ano passado é superior à coleta líquida.

Até ao final de julho, todos os contribuintes com direito a reembolso de IRS já devem ter recebido. O reembolso do IRS pode traduzir-se num alívio ao orçamento mensal, servindo para ganhar uma folga financeira.

Porém, existem vários destinos que pode dar a este valor extra. Desde colocá-lo de parte numa poupança até o pôr a render ou até mesmo usá-lo para usufruir de uns dias de descanso.

Saldar dívidas

Se tem créditos por liquidar, o reembolso do IRS pode ser uma ajuda para aliviar estes encargos. Comece por saldar as dívidas com os juros mais altos. Regra geral, são aquelas associadas a créditos ao consumo, como é o caso dos cartões de crédito. E mesmo que não consiga pagar a totalidade da dívida, tenha em mente que, quanto menor for o valor, menos juros irá pagar.

Criar ou reforçar o fundo de emergência

Se não tem um fundo de emergência, o reembolso do IRS pode ser o incentivo que lhe faltava para começar. O fundo de emergência funciona como uma almofada financeira para fazer face a despesas inesperadas, como por exemplo uma situação de doença, desemprego ou até uma avaria em casa ou com o automóvel.

O objetivo do fundo de emergência é evitar abalar as suas finanças pessoais em caso de despesas inesperadas. Se já possui um, aproveite o reembolso do IRS para o reforçar.

Usar o reembolso do IRS para poupar e investir

Se as suas finanças estão estáveis, pode investir o reembolso do IRS nas suas poupanças. Pode, por exemplo, aumentar o valor de uma conta poupança (sua ou dos seus filhos) ou num depósito a prazo com um período reduzido. Ou até procurar outras soluções como é o caso dos certificados de aforro.

Saiba ainda que investir num PPR é outra forma de aplicar este dinheiro extra. Além de complementar o valor da sua reforma, os PPR concedem benefícios fiscais à entrada e à saída. Ou seja, ao investir num PPR com o objetivo a longo prazo de salvaguardar este valor para a reforma, pode deduzir à coleta, na declaração de IRS, 20% do valor aplicado por ano (apesar de haver limites).

No que toca aos benefícios fiscais na hora do resgate, os PPR pagam menos impostos que outros investimentos, entre 21,5% e 8%, em vez dos habituais 28%.

Melhorar a eficiência energética de casa

Se tem casa própria, investir o reembolso do IRS na melhoria da eficiência energética da sua habitação pode ser uma excelente opção para poupar a longo prazo. Por exemplo, colocar janelas mais eficientes, painéis solares ou soluções de domótica, além de valorizar o seu imóvel, vai traduzir-se numa redução do valor das suas faturas.

Antecipar despesas

Despesas como o pagamento do IMI, IUC, seguro do carro ou até mesmo o regresso às aulas, são sazonais e podem fazer desequilibrar o orçamento quando não são bem planeadas.

Por isso, outra forma de aplicar o reembolso do seu IRS é antecipar este tipo de despesas. Deste modo, não vai precisar de mexer no orçamento do mês em que caem esses pagamentos.  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

RELACIONADOS
Mais Lidas