Facebook Instagram

Estas são as 13 start-ups nacionais que vão à Web Summit Qatar

As 13 start-ups que compõem a delegação portuguesa já levantaram, no total, mais de 17 milhões de euros em investimento e estão presentes em mais de 14 países.

Link To Leaders
23 fev, 14:30
Web Summit Foto Armando Franca, AP
Web Summit Foto Armando Franca, AP

A Startup Portugal e a Unicorn Factory Lisboa acabam de anunciar a sua participação na primeira edição da Web Summit Qatar, que se realiza de 26 a 29 de fevereiro no Centro de Exposições e Convenções de Doha. As duas entidades irão levar oito start-ups portuguesas à feira tecnológica, no âmbito do programa Business Abroad.

Entre as start-ups que irão participar, encontram-se a BRAINR, um sistema Manufacturing Execution System (MES) de próxima geração para indústria alimentar, a Bamble, que estabelece contacto com talento do setor tecnológico em mercados de elevado crescimento, como África, LATAM e União Europeia, a X-Plora, uma plataforma XR, um sistema de gaming e NFT para melhorar a experiência do cliente, a Team Sportz, uma plataforma de IA desportiva, que ajuda os treinadores e os jogadores a atingirem o seu máximo potencial, a BHOUT, a empresa de jogos responsável pelo primeiro saco de box inteligente, a Finvex, que ajuda as empresas de média e grande dimensão a criar e a gerir as suas próprias operações de financiamento da cadeia de abastecimento, a Sabbatical, plataforma online de reservas de estadias mensais, e a Xpat, uma plataforma digital que melhora a representação, o avanço e a mobilidade social de comunidades sub-representadas.

A estas juntam-se ainda cinco as start-ups que representam a Unicorn Factory Lisboa. São elas a Enline, tecnologia Digital Twin sem sensores com análises avançadas e algoritmo orientado por IA para otimizar a monitorização de ativos de transmissão de energia, a The Carbon Games, solução que permite que as empresas e eventos reduzam as emissões das deslocações diárias, a art, plataforma de streaming que transforma o seu espaço com arte digital personalizada que melhora o humor, apoiada pela neurociência, a Supadupa, um espaço para a economia criativa que fornece às marcas e agências os pontos de dados para escolher o melhor influenciador e público para a sua marca, e a Uptiq, plataforma que ajuda os aceleradores de start-ups a proporcionar experiências únicas e selecionadas a cada start-up.

Em menos de uma década, as 13 start-ups portuguesas operam já a um nível internacional, desde a Indonésia aos Emirados Árabes Unidos, tendo operações em mais de 14 países. Com um montante superior a 17 milhões de euros captados em investimentos, estas empresas procuram catalisar o crescimento e a inovação no cenário global, explica a Startup Portugal em comunicado.

Desde o seu início, o programa Business Abroad da Startup Portugal já apoiou mais de 270 start-ups em eventos tecnológicos internacionais e aos mercados mais relevantes para este setor.

 

RELACIONADOS
Mais Lidas