Incêndios: Repórter da TVI não contém as lágrimas durante um direto a partir da sua aldeia-natal

15 jul, 13:35
TVI
TVI

Durante uma ligação em direto a Freixianda, em Ourém, após um incêndio, o repórter da TVI António Pereira Gonçalves não conteve a emoção. Isto porque o jornalista nasceu naquela mesma aldeia.

Questionado sobre como tem visto sob o ponto de vista pessoala situação naquela região, o reporter não conteve as lágrimas: “Zé Carlos, essa pergunta mata”, admitiu. O jornalista contou que tem um pequeno terreno de nogueiras, que estava na linha do fogo. “Estive lá até às onze horas. Aquilo não é nada comparado com aquilo que esta gente perdeu, mas dá para perceber aquilo que esta gente sofre, perde com isto”, relatou.

“Procuro ter o lado humano quando faço estas coisas, mas é fácil fazer isto noutro lado. Aqui custa muito, é um martírio. Eu estou aflito a dizê-lo. Estou desejoso que este direto acabe, para poder respirar. Se fizeres favor… É de facto duro”, admitiu.

José Carlos Araújo, que conduzia a emissão do Jornal das 8, chegou mesmo a pedir desculpa ao reporter: “Perdoa-me a forma como introduzi a questão, mas sabendo que és daí natural, tinhas um ponto de vista obviamente mais próximo desta realidade. Daqui a uns dias voltarei para te perguntar como é que ficou a Freixianda depois de este turbilhão de emoções e destruição passer.”

O jornalista em estúdio terminou, dando os parabéns pelo trabalho do colega: “Um forte abraço, parabéns pelo teu trabalho e por teres estado aqui em direto connosco, mesmo nestes momentos muito pessoas e muito difíceis”, rematou.

António Pereira Gonçalves

 

O jornalista esteve hoje no 'Dois às 10' e explicou que a situação estava a "ser pesada demais":

Mais Lidas